AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO E PERCEPÇÃO DE FALA
Apresentao: Haydée Fiszbein Wertzner


No desenvolvimento a criança conquista e aprimora gradualmente a percepção e a produção dos sons da fala. A percepção possibilita que a criança, em um processo ativo, organize as representações internas a respeito da língua materna para produzir os sons de determinada língua. No período em que a criança desenvolve suas habilidades perceptivas, adquire um vasto inventário de elementos fonéticos, perde uma variedade de processos fonológicos e adquire um sistema fonológico de contrastes.
A relação entre percepção e produção está presente na fala na medida em que as seqüências de movimentos sofrem efeitos sensoriais que modificam os próprios movimentos. Os processos motores e os sensoriais mediam o ambiente da linguagem e o feedback da criança durante o desenvolvimento fonológico.
A regulação do movimento e a aprendizagem de habilidades motoras ocorrem numa estreita e continua conexão entre ação e percepção. A criança produz gestos espontâneos que são aprendidos e refinados, tornando-se gestos produzidos com acurácia que resultam na produção do som desejado.
A base para a contínua seleção e refinamento dos padrões motores para a produção dos sons é a informação sensorial. A integração das características sensoriais e motoras produz estabilidade a cada repetição. Os sons produzidos são representados em mapas neuronais associados aos receptores (cutâneos, sinestésicos, auditivos e/ou visuais). A avaliação da produção e da percepção da fala em crianças auxilia na identificação e caracterização de alterações tais como aquelas presentes no transtorno fonológico.
Para avaliar a produção da fala podem ser empregadas provas especificas como a estimulabilidade de fala, a palatografia, diadococinesia, velocidade de fala. Esses instrumentos são aplicados quando há indicação para complementar informação necessária para o detalhamento de possíveis alterações de fala. Outra meio de avaliar a produção de fala é a análise acústica que proporciona uma relação acústica e articulatória.
Em geral, a percepção de fala em crianças é avaliada em provas que medem o reconhecimento de sentenças bem como de palavras procurando identificar uma possível dificuldade em sons específicos. Uma prova muito aplicada em crianças com transtorno fonológico é a discriminação auditiva de silabas e palavras compostas por sons que se diferenciam por zona ou modo de articulação ou ainda por sonoridade. Nessa prova a criança compara os estímulos e indica se estes são iguais ou não sugerindo uma possível dificuldade em perceber tais sons.
A interpretação dos resultados da avaliação da produção e percepção da fala, além de contribuírem para o diagnóstico de alterações como o transtorno fonológico, também fornece instrumental para a seleção apropriada do modelo terapêutico a ser aplicado.


Dados de publicao
Pgina(s) : p.291
URL (endereo digital) : http://www.sbfa.org.br/portal/suplementorsbfa