SAÚDE VOCAL NO INGRESSO DE PROFESSORES NA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO: UM PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E VIGILÂNCIA
Apresentador : THELMA MELLO THOMÉ DE SOUZA (Prefeitura do Município de São Paulo)
Autor(es) / Coautor(es) : THELMA MELLO THOMÉ DE SOUZA,


A rede municipal de ensino da cidade de São Paulo é composta por aproximadamente sessenta mil funcionários, a maioria professores. Anualmente, novos educadores ingressam na atividade. Os exames admissionais são realizados pelo Departamento de Saúde do Servidor Municipal - DSS. Especificamente para essa categoria, os médicos peritos dispõem de avaliação fonoaudiológica quando suspeitar de alteração vocal no candidato à função de professor.Neste ano de 2008, no período de janeiro a abril, o Setor de Fonoaudiologia do DSS examinou 66 educadores. Destes, 53 (80%) foram considerados aptos, sete (10%) estão sob investigação e, em seis (9%), constatou-se inaptidão em face do quadro encontrado.Aqueles considerados aptos não apresentaram nenhuma patologia vocal segundo os exames laringológicos, mas alguns já foram portadores de alterações vocais no passado e fizeram tratamento médico e/ou fonoaudiológico. Outros apresentaram alterações importantes na dinâmica vocal que serão associadas, em muitos casos, a um aumento da demanda vocal diária.Sendo assim, tornou-se importante realizar um trabalho de Promoção da Saúde Vocal e Vigilância com esses educadores no momento que assumem um novo vínculo de trabalho.Como ação em Promoção da Saúde Vocal esses 53 educadores participarão de um Grupo de Orientação Vocal (GOVI) com a presença de uma fonoaudióloga e uma psicóloga. O grupo terá em média 15 participantes e duração de 08 horas, divididas em dois períodos de 04 horas, em dias consecutivos. O GOVI tem o objetivo de instrumentalizar o educador por meio de conhecimentos teóricos e vivências em produção vocal, cuidados com a voz, aquecimento vocal e expressividade, além de discutir questões referentes ao ambiente de trabalho. Trata-se também de um momento para reflexão sobre a identidade do professor hoje na PMSP, tendo em vista os diversos papéis assumidos por esse profissional.O trabalho de Vigilância à Saúde Vocal se dará por meio de avaliações periódicas que serão realizadas pela fonoaudióloga seis meses após o Ingresso e anualmente após esta data, enquanto durar o período probatório. Serão individuais ou em grupo, a depender do caso. Os educadores que no GOVI apresentarem qualidade vocal alterada serão convocados individualmente. Os que apresentarem uma boa qualidade vocal serão chamados para avaliação em grupo, com até quatro participantes.A piora no padrão vocal, observada durante o grupo ou nas avaliações, determinará o encaminhamento para terapia fonoaudiológica e acompanhamento otorrinolaringológico.Espera-se, com este programa de orientação e acompanhamento da Saúde Vocal do educador, caminhar no sentido de uma ação integral e diferenciada à saúde ocupacional do servidor municipal.


Dados de publicao
Pgina(s) : p.374
URL (endereo digital) : http://www.sbfa.org.br/portal/suplementorsbfa